News

14/06/2016 - #Microsoft compra #LinkedIn por US$ 26,2 bilhões

A Microsoft anunciou nesta segunda-feira, 13, a assinatura de um acordo definitivo para adquirir o LinkedIn por US$ 26,2 bilhões. Conforme os termos do contrato, a gigante do software vai pagar US$ 196 por ação da rede social de contatos profissionais. O valor representa um ágio de 50% em relação aos US$ 131,08, preço de fechamento dos papéis do LinkedIn na sexta-feira,10. Em comunicado em seu website, a Microsoft disse que o LinkedIn continuará a operar como empresa independente e Jeff Weiner permanecerá como CEO, se reportando a Satya Nadella, CEO da fabricante de software.

A aquisição ocorre em um momento de crescimento do LinkedIn. No ano passado, a plataforma social registrou aumento de 19% no número de perfis cadastrados para 433 milhões de usuários em todo o mundo; aumento de 9% no número de membros exclusivos que visitam o site todo mês, para 105 milhões; e um aumento de 101% no número de anúncios de emprego, para mais de 7 milhões. Além disso, o total de usários móveis cresceu de 49% em 2014 para 60% no ano passado. O desempenho é atribuído pela empresa a uma série de iniciativas como o lançamento de uma nova versão do seu aplicativo móvel, o que proporcionou um maior engajamento dos usuários; ao aperfeiçoamento do algoritmo do feed de notícias para oferecer melhores insights de negócios; e ao lançamento de uma nova versão da plataforma de recrutamento Recruiter para clientes corporativos, entre outras.

A Microsoft avalia que o negócio beneficiará tanto o LinkedIn quanto o seu portfólio de produtos, principalmente a plataforma de aplicativos em nuvem Office 365. A gigante do software tem feito um esforço significativo nos últimos anos para tornar seus produtos mais conectados e quer usar os dados para torná-los mais inteligentes. E a vasta rede de usuários do LinkedIn oferece dados que podem ajudá-la nessa empreitada. Conectar o LinkedIn diretamente ao Office poderia, por exemplo, facilitar o agendamento de reuniões de trabalho através de comunicados nas agendas dos funcionários na rede social. Os representantes de vendas também poderiam obter dicas úteis sobre potenciais clientes a partir de dados do LinkedIn.

Para o LinkedIn, o negócio abre a possibiidade de expandir a venda produtos. No ano passado, a rede social adquiriu, por exemplo, o serviço online de videotreinamento Lynda.com, por US$ 1,5 bilhão. Agora, com a aquisição, ela poderá oferecer vídeo da Lynda integrado aos produtos da Microsoft, como a planilha Excel.

A transação foi aprovada por unanimidade pelos conselhos de administração das duas empresas e a previsão é que seja concluída neste ano, após a aprovação dos acionistas do LinkedIn e demais aprovações regulamentares. Caso desista do negócio, a plataforma social terá de pagar US$ 725 milhões.

A Microsoft vai financiar a transação através principalmente da emissão de títulos de dívidas. Após a conclusão do negócio, a fabricante de software diz que os resultados financeiros do LinkedIn serão reportados como parte da divisão de produtividade e processos de negócios já no balanço do ano fiscal de 2017.



Fonte: http://www.mobiletime.com.br/14/06/2016/microsoft-compra-linkedin-por-us-26-2-bilhoes/441786/news.aspx



Facebook Twitter LinkedIn Google+ WhatsApp Gmail Email Print



voltar



ATENDIMENTO

Estamos prontos para atender

Tenha a melhor solução para o seu negócio

WhatsApp: (21)99973-5783

CHAT

Fale conosco