News

19/12/2008 - Cresce 370% o uso de computadores nas MPEs

As micro e pequenas empresas (MPEs) brasileiras incorporaram definitivamente as ferramentas tecnológicas para condução de seus negócios. Uma pesquisa realizada pelo Observatório das Micro e Pequenas Empresas do Sebrae-SP detectou que 91% usam celular, 75% possuem computador e 71% acessam a internet na gestão de suas atividades. Estes são os principais resultados do estudo As Tecnologias de Informação e Comunicação nas MPEs Brasileiras, realizado junto a 4.004 MPEs em todas regiões do Brasil que rastreou o grau de utilização das tecnologias da informação e comunicação adotados pelos empresários de pequenos negócios no Brasil, informa o Sebrae-SP.
Embora a proporção de uso do celular ultrapasse o computador e a internet, estes últimos tiveram crescimento acentuado nos últimos dez anos. Enquanto o percentual de MPEs com celular mais do que dobrou, saltando de 42%, em 1998, para 91%, em 2008, a proporção de uso de internet em 2008 (71%) ficou dez vezes maior que em 1998 (7%). O crescimento acelerado também foi observado no número de MPEs com acesso a computadores, que passou de 16% (1998) para 75%, dez anos depois.

Ainda que o número de empresários com acesso a celulares (91%) seja maior que o de computadores (75%), este último é considerado a ferramenta de informação mais importante entre as analisadas pela pesquisa. Cerca de 60% das empresas consultadas atribuem "grande importância" ao uso de microcomputador no negócio. O mesmo grau de importância é dado por 56% dos entrevistados para o uso de celular e por 51% dos entrevistados para o uso da internet.

O estudo aponta ainda que mais da metade dos empresários ouvidos pretende investir até R$ 4 mil na informatização de suas empresas até o fim do ano (54%), sendo que 44% deve priorizar seus investimento em computadores e 33% em softwares.

De acordo com Ricardo Tortorella, diretor superintendente do Sebrae-SP, "essa nova pesquisa mostra o grande avanço que as empresas vêm fazendo para acessar informações e fazer dos instrumentos de comunicação um importante aliado para sua competitividade. Do padeiro e da cabeleireira até o consultor de grandes empresas, verificamos que o acesso à informação tornou-se indispensável em um mudo com transformações cada vez mais rápidas".

"A popularização dos equipamentos de informática e a maior oferta de serviços de internet têm favorecido os pequenos negócios a entrar no mundo da informatização. Com isso, as MPEs estão descobrindo, cada vez mais, a importância e o potencial da informatização em termos de conquistar maior competitividade pro seu negócio. A maior informatização tem permitido maior controle da empresa, maior acesso às informações de mercado e melhor gestão empresarial. Mas esse processo pode ser ainda mais aprofundado se, aliado às novas tecnologias, os empresários investirem mais na sua própria capacitação, por meio de novos cursos de gestão empresarial", analisa Marco Aurélio Bedê, gerente do Observatório das MPEs do Sebrae-SP.

Informatização é maior na região Centro-Oeste
Enquanto no Brasil, 75% das MPEs brasileiras têm computador, a região Centro-Oeste apresenta um número bem maior com 85% das MPEs dispondo do equipamento. Seguido pela região Sudeste e Norte, empatadas com 76%, Sul com 73% e Nordeste com 71%. O Estado com maior proporção de computadores é o Mato Grosso com 89%, seguido de perto por Goiás, com 88%.

De acordo com Marco Aurélio Bedê, coordenador da pesquisa, "os estados do Centro-Oeste se destacam no uso de computadores porque são regiões que tiveram forte processo de crescimento econômico nos últimos anos. A maioria das empresas ali criadas existe há bem menos tempo, tendo sido constituídas em um momento em que o acesso à equipamentos de informática se tornou mais fácil. Uma boa parte dessas empresas viveu o processo de informatização junto com o próprio processo de constituição."

O microcomputador é utilizado, principalmente, para acessar a internet (63% dos entrevistados) e para o controle do cadastro dos clientes (uso citado por 59% das empresas). A elaboração de cartas/documentos, o controle de estoques e a automação dos processos também são utilizações citadas pelas empresas (citadas respectivamente por 55%, 42% e 28% das empresas).

Entre os setores da economia o uso de computadores é maior na indústria com 81% delas possuem o equipamento, contra 76% das micro e pequenas empresas do setor de serviços e 73% do comércio.

Embora o número de MPES com computadores seja considerável, a informatização ainda ocorre de forma pontual e não integrada. Assim, por exemplo, apenas 34% possuem software que permite o controle integrado de várias funções na empresa. E apenas 2% das empresas utilizam o computador para controlar financeiramente a empresa.

Celular está presente na maioria das MPEs brasileiras
O constante crescimento dos números de aparelhos celulares no Brasil está refletido nas micro e pequenas empresas onde o celular é a ferramenta de comunicação mais presente, aparecendo em 91% das MPEs brasileiras. Para a maioria delas, a principal finalidade continua sendo efetuar ligações. Apenas 25% das empresas utilizam outros serviços, como mensagens de texto, internet, agenda, câmera, rádio e navegação na internet.

Dos demais serviços oferecidos pelas operadoras de telefonia móvel, apenas o envio de mensagem de textos (serviço SMS) tem alguma importância, sendo utilizado por 18% dos empresários. Outros serviços, tais como uso como aparelho de rádio (comunicação), acesso à internet por meio de celular, agenda, identificador de chamadas, correio eletrônico e câmeras são citados, mas em proporções muito baixas (próximo a 1% em cada tipo de serviço).

A utilização do celular é mais forte nas micro e pequenas empresas localizadas na região Centro-Oeste onde 95% das MPEs possuem celular, número bem próximo da região Norte (94%). Nas demais regiões do país o índice cai um pouco, ficando próximo à média geral: 91% no Nordeste e no Sudeste e 90% no Sul.

Dentre os Estados que lideram o ranking das MPEs que mais utilizam o telefone móvel para se comunicar estão Pará e Sergipe e o Distrito Federal, com 97%, seguidos de perto pela Paraíba, com 96%.

Acesso a Internet é dez vezes maior
Em dez anos (entre 1998 e 2008), o percentual de acesso a internet pelas MPEs cresceu dez vezes saindo de 7%, em 1998, para 71% das MPEs brasileiras, em 2008, e representa hoje a principal finalidade para 63% das empresas que possuem computadores.

O estudo identificou que 53% das empresas entrevistadas usam a web para pesquisar preços e fornecedores, 49% aproveitam a agilidade da grande rede para resolver serviços de banco como acompanhar saldos e pagar contas, e 48% a utilizam para serviços de governo, como pagamentos de tributos, informações de pregões eletrônicos, emissão de certidões negativas de débitos, entre outros processos.

Este crescimento no uso da internet no ambiente empresarial reflete uma tendência, observada na última década, de uma preocupação maior dos empresários com relação aos processos de busca por informações e gestão do negócio. "Os números mostram que, de fato, a gestão do negócio está bem melhor que no passado, mas ainda dá pra melhorar muito. Na internet, é possível encontrar facilmente, uma série de informações que podem auxiliar na condução das empresas como, por exemplo, a pesquisa de serviços e informações sobre o mercado em que atua, quer dizer, itens fundamentais para o planejamento do negócio. A falta deste planejamento é um dos principais motivos de mortalidade de empresas", comenta Antônio Carlos De Matos, gerente da orientação empresarial do Sebrae-SP.

Das MPEs brasileiras que têm acesso a internet (71% das entrevistadas), 20% possuem site próprio (e 3% aparecem em sites de 3ºs). Na região Centro - Oeste o número de MPEs com acesso à internet sobe para 78%, enquanto na Sudeste e Sul gira em torno de 71%. Novamente o Estado do Mato Grosso lidera o acesso a internet com 86% das MPEs acessando a grande rede.

Com relação ao local de acesso a internet, 60% fazem dentro da empresa, e, em 51% delas, o acesso é por banda larga; 39% dos empresários acessam na residência sendo que 33% deles o fazem por banda larga. Boa parte (42%) das empresas navega por até 10 horas semanais na internet.

O principal serviço utilizado pelos empresários na internet é o e-mail, acessado por 64% das empresas consultadas pelo estudo. Outra finalidade detectada é a educação à distância: 11% dos empresários ouvidos já fizeram curso pela internet sendo que a maioria (84%) dos que fizeram considera útil este tipo de aprendizado. Ainda 54% dos empresários consultados mostraram interesse em fazer cursos pela internet.

Fonte: PEGN



Facebook Twitter LinkedIn Google+ WhatsApp Gmail Email Print



voltar



ATENDIMENTO

Estamos prontos para atender

Tenha a melhor solução para o seu negócio

Ligue: 0800 606 6047

(21)99973-5783

Fale conosco